HOME

Retired

In Memorian

Padreadores

Males

Matrizes

Females

Filhotes

Puppies

Padrões da raça

Breed Standard

Agility

Exposições

Exhibitions

Ranking

Anúncios

Announcements

Para onde

foram os

nossos

baixinhos

Galeria de fotos e vídeos

Gallery

 

 

     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Padrão Oficial da Raça

JACK RUSSELL TERRIER

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Filiada à Fédération Cynologique Internationale

Classificação F.C.I.:

Grupo 3 - Terriers

Seção 2 - Terriers de Pequeno Porte

Padrão FCI no 345 - 09 de agosto de 2004.

País de origem: Inglaterra

País de desenvolvimento: Austrália

Nome no país de origem: Jack Russell Terrier

Utilização: Um bom terrier com habilidade para a caça. Excelente

cão de companhia.

Sujeito à prova de trabalho para Campeonato Internacional

Impresso em: 10 de setembro de 2004.

3

JACK RUSSELL TERRIER

RESUMO HISTÓRICO: o Jack Russell Terrier é originário da Inglaterra do ano de

1800 graças aos esforços do Reverendo John Russell. Ele desenvolveu uma linhagem

de Fox Terriers para satisfazer suas necessidades: um cão que pudesse correr com

seus Foxhounds e fosse ao chão para expulsar a raposa e outros pequenos animais de

suas tocas. Duas variedades foram envolvidas, basicamente com padrões similares,

exceto por algumas diferenças, principalmente, em altura e proporções. O mais alto

de construção quadrada é conhecido como Parson Russell Terrier, e o outro cão,

menor e ligeiramente mais comprido, é conhecido como Jack Russell Terrier.

APARÊNCIA GERAL: forte, ativo, ágil terrier de trabalho, com grande caráter e

corpo flexível, de comprimento médio. Seus movimentos inteligentes combinam com

sua expressão aguda. Cauda cortada é opcional e a pelagem pode ser lisa, áspera ou

quebrada.

PROPORÇÕES IMPORTANTES:

• o cão é, em seu todo, mais comprido do que alto.

• a profundidade do corpo, da cernelha ao ponto do esterno, deve ser igual ao

comprimento dos membros anteriores do cotovelo ao solo.

• o perímetro atrás dos cotovelos deve ser de mais ou menos 40 a 43 cm.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: um terrier cheio de vida, alerta e

ativo com uma expressão aguda e inteligente. Corajoso e destemido, amigável, mas de

uma tranqüila confiança.

CABEÇA

REGIÃO CRANIANA

Crânio: o crânio deve ser plano e de largura moderada, diminuindo gradualmente em

largura para os olhos e se estreitando para o focinho.

Stop: bem definido, mas não pronunciado demais.

4

REGIÃO FACIAL

Trufa: preta.

Focinho: o comprimento do stop ao nariz deve ser ligeiramente mais curto do que o do

stop ao occipital.

Lábios: bem aderentes e pigmentados de preto.

Maxilares / Dentes: muito fortes, profundos, largos e poderosos. Dentes fortes;

fechando com uma mordedura em tesoura.

Olhos: pequenos, escuros, com expressão aguda. Não devem ser proeminentes e as

pálpebras devem ser aderentes. As bordas das pálpebras devem ser pigmentadas de

preto. Forma amendoada.

Orelhas: em botões ou caídas, de boa textura e de grande mobilidade.

Bochechas: os músculos das bochechas devem ser bem desenvolvidos.

PESCOÇO: forte e seco permitindo à cabeça ser portada com elegância.

TRONCO

Em geral: retangular.

Dorso: reto. O comprimento da cernelha à raiz da cauda é ligeiramente maior do que

a altura da cernelha ao chão.

Lombo: deve ser curto, forte e bem musculoso.

Peito: mais profundo do que largo, com bom espaço do chão, permitindo que a ponta

do esterno seja localizada a meio caminho entre o solo e a cernelha. Costelas bem

arqueadas desde a coluna vertebral, achatando os lados de maneira que o perímetro

atrás dos cotovelos possa ser medido por duas mãos - mais ou menos 40 cm a 43 cm.

Esterno: ponta do esterno claramente em frente à ponta do ombro.

CAUDA: pode ser curvada em repouso. Em movimento, deve ser ereta e, se ela for

cortada, a ponta deve estar na altura das orelhas.

5

MEMBROS

Ombros: bem inclinados para trás e não carregados pesadamente com músculos.

Braço: de suficiente comprimento e angulação para assegurar que os cotovelos

estejam bem colocados debaixo do corpo.

Patas anteriores: retas dos cotovelos aos dedos, vistas de frente ou de perfil.

Posteriores: fortes e musculosos, balanceados em proporção aos ombros.

Joelhos: bem angulados.

Jarretes: bem descidos.

Metatarsos: paralelos, quando vistos por trás; enquanto parado, em “stay”.

PATAS: redondas, duras, com boas almofadas; não grandes; dedos moderadamente

arqueados, não virando nem para dentro nem para fora.

MOVIMENTAÇÃO: livre e elástica.

PELAGEM

Pêlos: podem ser lisos, quebrados ou ásperos. Devem ser resistentes a intempéries. A

pelagem não deve ser estripada para parecer lisa ou quebrada.

COR: a cor branca deve ser predominante, com manchas pretas, castanhas ou marrons.

A marcação castanha pode ser do claro ao escuro.

TAMANHO / PESO

ideal: 25 cm a 30 cm.

Peso: sendo o equivalente a 1 kilo para cada 5 cm de altura; 25 cm de altura do cão

deve pesar aproximadamente 5 kg, e um cão de 30 cm deve pesar 6 kg.

FALTAS: Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como

falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem

estar do animal.

Faltas particularmente penalizadas:

• falta de verdadeira característica de Terrier.

• falta de balanceamento, quer dizer, exagero de qualquer parte.

• movimento indolente ou não saudável.

• mordedura errada.

NOTAS:

os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos

e acomodados na bolsa escrotal.

todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento

deve ser desqualificado.